O que é Diabetes e como Controlar a Glicose em Idosos  

A glicose é o açúcar simples que o nosso corpo usa como a sua principal fonte de energia. É obtido por meio da ingestão de alimentos e vai para o nosso sangue. As principais fontes de glicose são os alimentos doces, como as frutas, bolos, pudim, refrigerante, e etc.; nos carboidratos, como os pães, as massas, e etc.; e também nos alimentos ricos em amido, como o arroz, o milho, a mandioca e a batata, por exemplo.

A glicose presente nos alimentos doces é metabolizada rapidamente pelo nosso organismo. Em contrapartida, a glicose dos demais alimentos demora mais para ser quebrada.

O nosso organismo usa apenas a quantidade que precisa. O restante fica armazenado no fígado e vira glicogênio. A quantidade excedente de glicogênio vai para a corrente sanguínea. No nosso organismo, quem controla o nível de glicose no sangue é pâncreas, local onde a insulina é produzida. A insulina serve para transformar a glicose em energia. Quando um nível elevado de glicose fica no sangue, pode ser um indício de diabetes. Para medir o nível de glicose, é feito um exame de sangue em jejum. Os valores considerados normais para uma pessoa adulta variam entre 70 a 99 mg/dl.

Diabetes é um tipo de doença crônica, que acontece quando o corpo já não consegue usar a insulina da maneira correta, ou quando já não a produz mais.

Embora seja comum o diabetes acontecer em qualquer idade, em idosos ela é mais frequente, pois o envelhecimento acaba fazendo com que várias funções do nosso organismo sejam reduzidas. Além do mais, o diabetes em idosos também é mais perigosa. Muitos idosos precisam de ajuda para aplicar a insulina, e um dos grandes problemas: uma grande parte dos idosos não consegue parar de comer doce.

Tipos de Diabetes

Existem 3 tipos de Diabetes:

Diabetes tipo 1: é quando nenhuma insulina é produzida ou quando a quantidade é muito pouca. De maneira que a glicose permanece no corpo e não é transformada em energia. Das pessoas com diabetes, cerca de 5 a 10% apresentam o tipo 1. E o diagnóstico costuma ser feito na infância ou na adolescência.

Diabetes tipo 2: esse tipo já é mais comum. Das pessoas com a doença, ela acontece em cerca de 90% delas. Nesse tipo de diabetes, a quantidade de insulina produzida não é suficiente, ou o organismo da pessoa não consegue usá-la corretamente. É mais comum em pessoas adultas. Porém, pode acontecer em crianças também.

Diabetes gestacional: é um tipo que acontece em algumas mulheres durante a gravidez, devido à algumas alterações hormonais que o corpo precisa passar. É comum o problema desaparecer após o parto. Porém, durante a gestação, a gestante precisa de acompanhamento médico para evitar que o problema afete o bebê e que ela própria tenha algum tipo de complicação.

Sintomas do Diabetes

O diabetes, tanto em idosos quanto nas pessoas de outras faixas etárias, é uma doença assintomática. Porém, existem alguns sintomas que podem servir de alerta para a pessoa fazer um exame. São eles:

  • Mais vontade de fazer xixi ao longo do dia;
  • Aumento da fome;
  • Alterações do peso;
  • Dores mais frequentes de cabeça;
  • Visão mais embaçada;
  • Câimbras, formigamentos nos pés e nas mãos, e perda de sensibilidade,
  •  Enjoo.

E outros.

Consequências do Diabetes em Idosos

Nos idosos, o diabetes pode ser bem mais perigoso. Dentre as consequências possíveis na terceira idade, as mais comuns são:

Doenças renais: os rins ajudam na limpeza do sangue, eliminando resíduos. Se o idoso é acometido pelo diabetes, os rins são prejudicados e têm a sua capacidade de filtragem comprometida. Quando há uma enorme quantidade de açúcar no sangue, os rins precisam trabalhar mais, aumentando o volume da filtragem. Com isso, eles ficam sobrecarregados. No entanto, se o problema for detectado ainda no início, o idoso ou outro paciente tem a possibilidade de tratar e evitar o seu agravamento.

Má circulação: o idoso com diabetes pode ter problemas nos nervos dos pés, denominado neuropatia. E também uma má circulação. Com isso, ele pode ter alguns problemas, como fraqueza, formigamento, dores e perda de sensibilidade.

Problemas de visão: os idosos com diabetes também podem ter a visão afetada. Dentre os doentes, 40% deles têm mais chances de apresentarem glaucoma, e 60% têm mais chances de desenvolverem problema de catarata. Além do risco de ficarem até cegas.

E muito mais…

Alimentação de Idosos Com Diabetes

acucar diabetes glicemia

É preciso evitar o açúcar e controlar a glicemia

Quando o idoso descobre que tem diabetes, a primeira reação é de susto. Ainda mais nessa idade, em que eles adoram desfrutar de um doce. Mas engana-se quem pensa que a alimentação de uma pessoa diabética precisa ser totalmente restrita. Abaixo, listamos alguns dos alimentos que o idoso diabético pode e que não pode comer.

Pode comer: queijo branco, peixes e carne magra, aves sem a pele, leite desnatado, cereais, verduras de folhas verde-escuras, fibras solúveis (que estão presentes na linhaça, na aveia, na farinha de banana-verde, e etc.).

Não pode comer: doces, carboidratos simples, fritura, carne gorda, queijo amarelo, leite integral, açúcar mascavo, caldo de cana, sucos de frutas, e etc.

O ideal é procurar um médico ou nutricionista para que este possa elaborar uma dieta com base nas necessidades de cada paciente, que são distintas em relação ao modo de vida, e estágio da diabetes.

Como Controlar a Glicose em Idosos Que Insistem Em Comer Doce?

Esse é um problema que pode ser resolvido facilmente. É possível incluir os doces na dieta do idoso desde que eles não contenham açúcar refinado, que pode ser substituído pelo adoçante dietético Stévia; também é preciso usar ingredientes ricos em fibras no preparo, como farinha de linhaça, biomassa de banana verde, aveia, farinha de maracujá, e etc.

É possível encontrar várias receitas na internet de doces feitos com os ingredientes que não elevam a taxa de glicose. Dessa forma, os idosos não precisam sofrer e nem serem impedidos de comer um doce.

Como Tratar o Diabetes?

O diabetes é uma doença que não tem cura. Mas há alguns tratamentos que podem ser feitos para o seu controle, de forma a não incorrer em nenhum tipo de complicação.

Dentre os cuidados necessários, tanto o idoso quanto os outros pacientes devem manter hábitos saudáveis de vida, uma alimentação balanceada, praticar atividades físicas e se consultar regularmente, para manter um controle. Além do mais, pacientes com diabetes tipo 1 e alguns pacientes com diabetes tipo 2 precisam acompanhar e aplicar insulina diariamente.

Idosos e demais pacientes com diabetes podem ter uma vida normal, desde que sigam as recomendações médicas e evitem fatores de risco, como os alimentos proibidos, o sedentarismo, o tabagismo, o alcoolismo, e tenham hábitos saudáveis.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *