Quais São as Atividades da Vida Diária? Como o Idoso Pode Lidar Com Elas 

As Atividades da Vida Diária (AVD) correspondem às tarefas básicas relativas aos cuidados que a pessoa tem consigo mesma, e que são aprendidas ainda na infância. Dentre elas, temos ir ao banheiro, andar, cuidados com a higiene pessoal, se movimentar de um local para o outro, se alimentar, vestir, calçar, se despir, dentre outras.

Ou seja, as AVD são tarefas de autocuidado que devem ser realizadas todos os dias para que a pessoa tenha saúde, bem estar e uma vida confortável. Porém, nem sempre o idoso tem condições de realizar essas atividades sozinho. Isso pode ser decorrente d doenças que limitam a mobilidade, demência, etc. Por isso, temos que saber como lidar com estas situações, ajudando o idoso e o estimulando a fazer o que é possível.

Atividades da Vida Diária para idosos com limitações

Além das Atividades da Vida Diária, que são tarefas de autocuidado, tem-se também Atividades Instrumentais da Vida Diária (AIVD), que são aquelas atividades que exigem um pouco mais de habilidades, e que possibilitam que o idoso viva de maneira mais independente possível. As AIVD’s são aprendidas no decorrer da adolescência e corroboram para a manutenção da vida.

São exemplos de Atividades Instrumentais da Vida Diária fazer compra, administrar o dinheiro, preparo de refeições, usar o transporte, limpar, usar computador, telefone e afins, controle e gerenciamento de medicação, etc. Ou seja, são atividades de autocuidado indireto.

A AVD’s e as AIVD’s, juntas, constituem todas as habilidades que o adulto precisa desenvolver para ser uma pessoa independente. Ao realizar uma avaliação funcional do idoso, os profissionais da saúde consideram as AVD’s e asAIVD’s. Pois a dificuldade em realizar essas atividades pode ser o indício de algum problema de saúde, como o Mal de Alzheimer, por exemplo.

Os idosos devem ser estimulados a realizarem Atividades da Vida Diária.

Não é por estar na terceira idade que a pessoa já não pode mais realizar as atividades da vida diária, desde que ela tenha condições físicas para isso. É muito importante para o idoso se manter ativo, e o incentivo da família é muito importante para que ele se sinta capaz.

Para muita gente, chegar à terceira idade significa o fim de uma vida. É comum as pessoas pensarem que o idoso não tem mais capacidade de realizar nenhuma tarefa, nem mesmo aquelas mais simples. Só que não é bem assim. Tem muitos idosos saudáveis e cheios de vontade de viver. Uma maneira de se sentirem úteis é mantendo o autocuidado, o que é também essencial para a saúde.

A família precisa deixar o idoso realizar as tarefas para que ele se sinta estimulado. A ideia é ajudá-lo a se sentir mais confiante das suas próprias capacidades. É claro que o idoso deve também respeitar suas limitações. Deve-se realizar apenas tarefas que consegue, sem forçar o físico ou mental.

Com o passar do tempo, passamos por inúmeras transformações fisiológicas, que acontecem de forma progressiva. E, para termos mais qualidade de vida e um envelhecimento de qualidade, precisamos aprender a lidar com essas transformações. O ideal é tentar encontrar um ponto de equilíbrio entre o envelhecimento físico e o mental.

As alterações sofridas pelo nosso organismo ao longo dos anos são irreversíveis. Porém, a partir do momento em que decidimos cuidar da nossa saúde e não deixar de fazer as atividades da vida diária, estamos reduzindo a velocidade com que o nosso declínio fisiológico aconteça.

Respeitar e ouvir o idoso também é papel da família. Se ele tem condições de cuidar da sua própria higiene, da sua alimentação, de escolher que roupa quer usar, o ideal é deixá-lo cuidar de si mesmo, até chegar ao seu limite. Deixando sempre bem claro que ele pode contar com o apoio da família sempre que precisar.

O idoso é uma pessoa à parte, e não a extensão de outra pessoa. Por isso, ele deve estar livre para tomar as suas próprias decisões, sempre que possível. A partir do momento em que ele começar a precisar de ajuda, a família se mostra pronta para ajudar. Fora isso, o seu espaço deve ser respeitado.

Assim como ele também deve entender e aceitar quando não estiver mais conseguindo realizar as atividades da vida diária. Nem sempre é possível chegarmos à terceira idade em condições de fazermos tudo sozinhos. Então, é fundamental que o idoso entenda e aceite que tudo faz parte do curso natural da vida. E que ele pode e deve pedir ajuda sempre que sentir necessidade.

Assim, é imprescindível nos casos de demência que as tarefas de autocuidado, de Atividades da Vida Diária, sejam sempre estimuladas e lembradas ao idoso. Crie uma rotina para que o idoso consiga apreender que todo os dias, naquele horário, é hora de tomar banho, por exemplo. Assim, em casos de indivíduos acometidos pelo Alzheimer, por exemplo, ele ainda consegue se manter estimulado.

Porém, nestes casos citados acima, deve-se ter uma pessoa monitorando se as atividades estão sendo feitas, e se o idoso está conseguindo manter sua saúde, higiene e alimentação. Se não, a ajuda deve estar disponível. No caso das atividades instrumentais, realmente será difícil do idoso realiza-las, mas mesmo que não consiga sozinho, deve sempre deixa-lo ter a oportunidade de tentar, ou mesmo de auxilia-lo. Ainda, os idosos que possuem alguma doença física, como Parkinson, devem sempre ter uma ajuda.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *