Diabetes em Idosos

O diabetes é um doença que interfere no metabolismo da glicose. Dentre outras funções, o pâncreas é responsável por produzir um hormônio conhecido como insulina. Ele é quem quebra as moléculas de açúcar que chegam ao organismo por meio da alimentação, possibilitando que elas sejam transformadas em energia.

Quando a insulina não é produzida ou absorvida, os níveis de glicose no sangue se elevam, causando o que chamamos de diabetes.

Para saber mais sobre o diabetes, sugerimos que você veja o Dr. Drauzio Varella falando sobre a doença no Fantástico:

Diabetes em Idosos

A incidência do diabetes em idosos é maior que na população de um modo geral. Estima-se que 20% das pessoas com idade entre 75 e 80 têm a doença, o que pode ser explicado por diversas razões. A principal explicação para a maior prevalência do diabetes em idosos é a redução natural de algumas funções do organismo que podem ajudar a controlar o índice de glicose.

Com o passar dos anos, o pâncreas já não funcionam tão bem quanto antes e pode diminuir a secreção de insulina, por exemplo, levando ao aparecimento da doença.

A medição da glicose faz parte do tratamento e do controle do diabetes

A medição da glicose faz parte do tratamento e do controle do diabetes

Diagnóstico do Diabetes na Terceira Idade

Como os casos de diabetes são mais comuns na terceira idade, é importante que o acompanhamento em relação à doença sejam constantes. Para tanto, é preciso que sejam feitas medições da glicose e, dependendo da situação, exames especiais para diagnosticar a doença. É importante enfatizar que o diabetes é uma doença silenciosa, ou seja, com sintomas difíceis de serem percebidos.

Nos idosos esses sinais são ainda mais complicados porque o excesso de urina, por exemplo, já é comum em pessoas mais velhas, assim como desânimo e fraqueza. Justamente por isso, o cuidado deve ser redobrado e as visitas ao médico precisam ser constantes.

Tratamento

O tratamento do diabetes na terceira idade não costuma ser diferente do de outros pacientes. É fundamental que um endocrinologista acompanhe o caso, a fim de prescrever os medicamentos mais adequados para aquele indivíduo. Outros problemas como hipertensão e colesterol alto, também comuns em idosos, podem ser tratados conjuntamente, sobretudo no que diz respeito à alimentação. As manifestações da doença em cada pessoa são bem diferentes e, por isso, não há um único tratamento.

De todo modo, quando o idoso tem boas condições físicas, atividades moderadas e uma alimentação equilibradas já são ótimos passos para controlar a doença, além, é claro, dos remédios prescritos pelo médico.

Relacionados

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *