Como lidar com a morte dos Amigos Idosos

Quando se pensa em chegar à terceira idade são muitos os planos: de aproveitar à fase que tanto se trabalhou para poder usufruir de uma fase tranquila ao lado de quem se ama e de um bom aconchego. Mas essa nem sempre é a realidade de muitos idosos.

O primeiro fato que é um verdadeiro desafio: a aposentadoria que costuma diminuir e é preciso saber lidar com uma renda que antes não se estava acostumado. E quando se consegue, ocorre outra questão que deixa os idosos entristecidos: a morte de seus amigos.

Pois é nesse período que o idoso acredita que pode aproveitar mais a vida e fazer muitas coisas que não conseguiu fazer quando estava trabalhando durante um bom período de sua vida. E nesta fase ele quer compartilhar momentos e quando os seus amigos começam a morrer, o que era difícil fica ainda mais.

Enfrentando o luto

Todos sabem o quão importante é construir laços de amizades. Os amigos fortificam a rotina, são companheiros, dividem momentos de alegria e tristeza. E quando os amigos começam a falecer, o idoso tem em sua mente que a sua hora também está chegando.

É muito comum este pensamento no idoso. Mas neste momento a família precisa estar presente e apoiar o familiar. Muitos idosos inclusive nem mantém laços de amizade, o que também não é bom pra eles. Mas o apoio familiar é sempre importante no período em que o idoso perde um amigo. A família precisa dar todo o amparo psicológico, para que ele não tenha uma depressão.

images

O idoso precisa ter o apoio da família no momento de luto

Como a família pode ajudar?

O momento de luto da morte de um amigo do idoso é difícil. Mesmo que isso já comece alguns anos antes, é comum depois de uma idade o idoso perder vários amigos ao mesmo tempo. E pode ocorrer até de ele ficar sem nenhum e é ai que a família precisa ficar atenta.

Os primeiros lutos de um idoso começam quando ele perde o companheiro, irmãos, e até mesmo filhos ou sobrinhos. Nesta fase, a família precisa ficar atenta aos sinais do familiar e perceber como ele se comporta. É sempre aconselhável que mesmo que o idoso mora em uma casa de repouso ele precisa ter atividades paralelas com a família ou não, para se sentir importante.

Neste sentido, a família precisa tratar o familiar como alguém que tem importância em sua rotina, independente da situação. Se a morte de amigos começar a ser regularmente, a família pode chamar um psicólogo para conversar com o idoso.

Outras formas de ajudar é deixar o idoso ocupado, levar ele para sair, seja no parque ou outro lugar e não deixá-lo apenas em casa sem nenhuma função. É óbvio que ele vai se sentir mal e as chances de desenvolver depressão são enormes.

Desejos da morte: explicando os fatos

O que também muitos familiares relatam é que quando o idoso perde uma parte de sua família e amigos, ele comece a desejar a sua morte também, como algo que vá trazer alívio para a sua família e para ele próprio. Essa questão é muito complexa, pois vai depender muito da estrutura interna do idoso.

Como ele conseguiu construir sua base social durante a vida? Para pessoas que tiveram frequentemente problemas emocionais ou ainda em relação a dívidas, isso toma um peso maior. Para os outros que conseguiram levar a vida construindo relações saudáveis o processo da morte não toma uma proporção tão grande. Quando o idoso começar a desejar a sua própria morte, a família precisa mostrar todos os pontos positivos de sua jornada aqui na terra. Sempre lembrando que o apoio da família é fundamental em qualquer fase.

Relacionados

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *